Entregador de gás se diz injustiçado pela PM

Publicado em às 15:37.
Por Da redação

De acordo com o entregador de gás, Maiconsuel Santos Silva ele foi acusado de possuir uma arma e integrar uma quadrilha de traficantes

O entregador de gás Maiconsuel Santos Silva, residente no bairro Lago Azul, em Piúma esteve na redação do jornal Espírito Santo Notícias fazendo um desabafo. Ele contou que na última terça-feira, 05, foi surpreendido com a presença da Polícia Militar – PM em sua residência, por volta das 6h00 da manhã, sem mandado de busca e apreensão, arrombando a porta e entrando em sua casa atirando. Ele foi alvejado com um tiro de raspão na boca e sua mulher com um tiro no glúteo.

Maiconsuel afirmou que foi acusado de portar uma arma sem que a mesma seja dele. Segundo ele, o policial montou o flagrante para incrimina-lo. Disse oportunamente que nada tem a ver com acusação de tráfico de drogas e que é trabalhador. Afirmou ainda que está se sentindo envergonhado de continuar no trabalho que executa entregando gás de casa em casa. “Eles chegaram na minha casa por volta das 6h00, gritaram: _ polícia e já arrombaram de vez a porta, eu estava dormindo com minha esposa e minhas duas crianças em uma cama só, sem roupa nenhuma, pelado. Eu pulei com tudo de cima da cama e tomei o primeiro tiro no rosto que cortou meu nariz e abriu minha boca, quebrando um dente por fora. O tiro acertou a ‘bunda’ da minha esposa, passou pele parede e quase pegou na cabeça do meu filho, resumindo, eles chegaram, reviraram a minha casa não acharam nada, chamaram outro policial da guarnição e outro rapaz, entraram e minha esposa e minhas crianças viram, ele tirou um revólver de dentro do colete e colocou dentro da minha roupa, sacodiu e falou com o comandante dele que tinha achado um tesouro, meu filho de cinco anos começou a falar que meu pai não mexia com drogas nem com arma e que era entregador de gás e viu eles colocando a arma dentro da bolsa, minha esposa começou a gritar que viu, eu presenciei e meu filho de nove anos presenciou também e já me meteram a algemas, depois de terem bagunçado tudo e me levou junto com os caras dentro do camburão, na verdade, eu fui dentro da ambulância que eu estava mal, uma cena de terror fizeram comigo lá dentro e eles não acharam nada, nem com os inquilinos, muito menos comigo. Eles plantaram a arma e disseram que era minha”.

Maiconsuel assegurou também que os policiais mostraram a ele um vídeo dizendo que a moto dele estava sendo emprestada para vagabundos roubarem os comércios da cidade. “Esse vídeo foi encerrado porque onde eu trabalho é igual um Big Bhroter com câmeras para todo o lado, minha motinha estava paradinha dentro do depósito, eu sou trabalhador e uso minha moto só para meu serviço. Quero pedir aos comerciantes que não fiquem assustados comigo e nem fiquem me criticando, que eu não sou vagabundo e dependo do meu serviço, hoje eu estou com vergonha de andar na rua, de andar na cidade, estou sem me alimentar desde o dia que ocorreu isso, há quase uma semana que não entra nada na minha boca, sinto vergonha de andar nas ruas, muita gente me criticando, me julgando”, chorou.

Segundo Maiconsuel, ele foi colocado como bandido, teve de assinar um papel com a culpa e pagar uma fiança de quase mil reais. “Essa fiança será descontada no meu pagamento, tive que assinar um papel de culpa, vou ter de responder no Fórum, uma arma que não é minha, não sei nem o que fazer, estou com vergonha até de ir trabalhar, de entregar o gás nas casas das pessoas e as pessoas não quererem me atender, eu nem sei o que fazer da minha vida, é muita complicação, me colocaram no meio de vagabundo, apenas aluguei minha casa, e acabou acontecendo isso tudo, entraram na minha casa dispararam tiros. Eu peço que as pessoas não fiquem com medo de mim que eu sou trabalhador”, finalizou.

 

O QUE DIZ A PM?

Maiconsuel é amigo de infância dos inquilinos

 

 

O comandante da Operação “Inquietação” realizada no dia último dia 05, Paulo Cola falou com a reportagem sobre a prisão de Miaconsuel Santos Silva. Cola fez zum resumo do Boletim de Ocorrência – BO e afirmou que confia nos policiais que participaram da ação na casa do entregador de gás que acabou sendo alvejado com um tiro de raspão na boca.

De acordo com o BO, durante Operação Policial Integrada entre as Polícias Civil e Militar da 10ª CIA IND, cujo objetivo principal era o de capturar uma quadrilha que se estalara no Bairro Lago Azul, sobre a qual recai a suspeita de ser o bando responsável pelo tráfico de drogas na região e também o último homicídio ocorrido em Piúma, no bairro Céu Azul. Subsidiando a Operação, foi expedido pela 2ª Vara da Comarca de Piúma Ordem Judicial de Busca e Apreensão para várias residências no Local. Sabendo, por meio do Serviço de Inteligência, pelo Serviço de Investigação da Polícia Civil de Piúma e pelo comando da Força Tática, que no imóvel de propriedade de Maiconsuel (antes identificado apenas como (o entregador de gás) estava ocupado por este e por parte da quadrilha que se buscava prender, e, que também sabedores de que as pessoas que ocupavam o imóvel eram foragidos da justiça e de alta periculosidade, “às 06h00min cercamos o imóvel com toda cautela e iniciamos as tentativas de manter contato verbal com os que ocupavam o imóvel, entretanto, ao não sendo atendidos, nos aproximamos ainda mais da residência, declarando em alto e bom som nossa condição de policias, podemos então observar que houve uma grande movimentação no interior da residência, como se uma janela estivesse sendo arrombada, nesse momento, certos de que havia um ilícito no local, rompemos a porta principal da casa e nos deparamos frente a frente com Maiconsuel segurando uma arma de fogo apontada em nossa direção, estando na iminência de usá-la e com todas as possibilidades disso, surgiu nesse instante a imperiosa necessidade de fazer uso de meio de força para contê-lo, tendo PM, dentro da técnica do método Giraldi, utilizando a Pistola PT100 da PMES, efetuado dois disparos em direção ao iminente agressor, o que foi suficiente para impedir que Maiconsuel fizesse uso efetivo da arma que empunhava. No instante dos disparos, Joilma, esposa de Maiconsuel, se lançou à frente de Maiconsuel, sendo atingida na região do glúteo por um dos disparos, sem gravidade”, relata a Ocorrência.

Diz ainda o BO que Maiconsuel foi atingido de raspão no lábio superior e nariz, também sem gravidade. Tanto Maiconsuel e Joilma, foram atendidos pelo SAMU no local da ocorrência, levados para o hospital de Piúma e liberados logo em seguida. “Na parte inferior do imóvel, localizamos quatro pessoas, Jailton, Osmundo, Poleandro, e Geane, duas porções de maconha e quatro pedras de Crack. Contra Jailton e Osmundo haviam mandado de prisão, conforme já se sabia no início da operação. Jailton da Conceição Costa, que sabemos que se identifica como Sabiá no local e se intitula o chefe do bando, substituto de Romildo, preso com outros no último dia 03/12 no mesmo bairro com duas armas de fogo BU 34658490. Maiconsuel, Jailton, Osmundo e Poleandro, foram conduzidos e apresentados na Delegacia de Polícia Civil de Piúma, apenas Maiconsuel apresentava lesões (proveniente do disparo). MAICONSUEL disse conhecer Jailton desde criança, pois são da mesma cidade da Bahia”.

O comandante da operação frisou que, a Polícia trabalha com denúncias e investigação, mesmo que Maiconsuel se diga inocente no decorrer do processo será averiguado, no entanto, a casa que ele diz ter alugado, era para indivíduos de alta periculosidade e que os mesmos são amigos de Maiconsuel desde infância. A Polícia vai continuar investigando esse caso.

 

Um Comentário

  1. Louco braw
    Postado em 12 de dezembro de 2017 às 19:23 | Link

    A Polícia também não é santinha não gosta de esculachar os outros eu não vou julgar ninguém mais acho que tem que ser melhor apurado esse ocorrido pelo ministério público e a corregedoria apenas minha opinião..

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*