Hartung autoriza concurso para 173 vagas

Publicado em às 10:04.
Por Assessoria de Imprensa

Do total de oportunidades, 20 são para quem possui ensino médio e 153 para nível superior, com iniciais de até R$ 4,8 mil. Banca organizadora deve ser anunciada nos próximos dias

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, anunciou, em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira, 31 de janeiro, no Palácio Anchieta, a realização de novo concurso público 2018 para a Polícia Civil do Estado (PC/ES). A autorização do certame foi assinada durante o evento, garantindo a oferta de 173 vagas para o certame, sendo 20 para cargos com exigência de ensino médio e 153 para nível superior, com remunerações iniciais de até R$ 4.860,80. Como o processo de escolha da banca já havia sido iniciado desde o final de 2017, a expectativa é de a empresa seja anunciada no decorrer dos próximos dias, para que o edital de abertura de inscrições seja publicado ainda no decorrer de fevereiro.

Ensino Médio

As 20 vagas destinadas para portadores de ensino médio serão para o cargo de auxiliar de perícia médico legal, que conta com remuneração inicial de R$ 3.449,60.

Nível Superior

Já as oportunidades de nível superior serão para os cargos de escrivão de polícia (20 vagas),l perito oficial criminal (50), psicólogo (4), médico legista (15), investigador de polícia (60) e assistente social (4), todos com inicial de R$ 4.860,80.

Concurso Anterior

O último concurso do órgão ocorreu em 2013, quando foram oferecidas 113 vagas, em diversos cargos de níveis médio e superior. As opções foram para delegado, escrivão, legistas auxiliar de perícia e peritos criminal, criminal especial, em telecomunicações, perito papiloscópico e perito em fotografia criminal.   A banca organizadora, na ocasião, foi o Cespe/UnB.

No caso de auxiliar técnico de perícia, a seleção contou com 120 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos, além de prova discursiva, testes de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social e criminal.

Para perito e legista também foram 50 questões de conhecimentos básicos e 70 de específicos, além de prova discursiva, teste de aptidão física, exames psicopatológicos, análise de títulos e investigação social.

Para escrivão, 50 de conhecimentos básicos e 70 específicos, prova discursiva, teste de aptidão física, exames psicopatológicos, prova prática de digitação, análise de títulos e investigação social.

Para todos os cargos, a parte de conhecimentos básicos versou sobre língua portuguesa, noções de informática e raciocínio lógico

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*