Campeã mundial de Jiu-Jitsu é nossa!

Publicado em às 9:36.
Por Luciana Maximo

Campeã Estadual da categoria, vice-campeão na categoria acima do seu próprio peso, campeã brasileira e campeã mundial.

De Itapemirim para o mundo. A atleta Andressa Vasconcelos de Barros Goes é campeã mundial de jiu-jitsu ma categoria Sênior I, peso leve (até 64 quilos). Para o Espírito Santo motivo de orgulho, para o Brasil e para Itapemirim. A simpática atleta topou bater um papo com a Reportagem do jornal e contou como conseguiu esse feito inédito.

A competição ocorreu entre os dias 23 e 26, em São Paulo. Para trazer a medalha para casa ela nocauteou a paulistana Luciana Kusaka em decisão por pontos.

Não tem moleza para a atleta que treina pesado, abdicou de momentos de lazer e renunciou muita coisa para entrar em forma e disputar com as melhores do mundo.

Professora, a jovem trabalha 8 horas por dia em uma creche na localidade de Campo Acima. Em casa, ela prepara sua própria refeição, segue para os treinos diários ainda cedo. Com foco e determinação, além de uma dieta apropriada, uma vida regrada ela nos conta como conseguiu atingir seu objetivo no esporte.

Andressa afirmou que sempre gostou de esportes, “já joguei basquete, mas me interessei pelo jiu-jitsu há 13 anos quando comecei a frequentar os campeonatos com meu irmão. Nunca gostei de soco e pancadaria, o jiu-jítsu não é isso, o próprio nome significa arte suave, são técnicas de imobilização e finalização. Você aprende a aplicar, sair dos golpes”, explicou.

 

Renúncias

 

“Hoje, consigo vê a importância do foco, da disciplina, dos treinos diários para vencer. Eu já disputei outras vezes e não conseguiu, assim como conheço atletas que conseguem e outros não. Por menor que o município seja, a academia seja pequena, nós estamos no mesmo nível das japonesas, americanas e australianas. Foram quase cinco mil atletas que lutaram nos três dias de campeonato. Quando levantei a bandeira de Itapemirim, os fotógrafos ficavam perguntando de onde eu era e que bandeira era aquela”.

 

Patrocínio?

 

“Esta questão é muito complicada, eu conto com o apoio da Prefeitura Municipal de Itapemirim. Eu fico muito triste quando vejo não só o jiu-jítsu, mas outros esportes e outros atletas que vencem campeonatos e não tem a oportunidade de serem patrocinados, não tem apoio de prefeitura nem dos comerciantes. Muitos contam apenas com o próprio bolso, no máximo com a família e os amigos para participarem de competições e realizarem seus treinamentos”.

 

Rotina de treinos?

 

“Tem que treinar duro, não perder noite de sono, se alimentar corretamente, entre outros fatores. Eu não vou apenas lutar e disputar um campeonato, eu vou colocar em prática o resultado de todo o meu esforço e é muito gratificante quando este resultado é visto no tatame”.

 

Conquista

 

“Foi a realização de um sonho, o sonho de todo atleta é disputar com os melhores do mundo e vencer. Na hora da luta entrei um pouco nervosa, já que a minha oponente era da cidade, todo mundo a minha volta torcia por ela. Eu estava apenas com Leonardo, meu professor, sua esposa, Pâmela e Marcele, outra atleta que também foi disputar o mundial. Todo o ginásio torcia pela Luciana, ouvia apenas a voz dos três me incentivando, foi quando ganhei a luta, nos trinta segundos do último tempo. No final, eu já estava quase sem forças, foi quando tentou fazer uma raspagem, pensei em cada familiar, cada amigo, cada curtida, cada comentário, enfim, em todo mundo que me apoia e sempre me apoiou no esporte e na vida. Nesse momento, eu parti pra cima dela e venci a luta por pontos.

 

Reação

“Eu deitei no tatame, chorei, levantei a mão e gritei. Foi quando meu professor começou a gritar, parecia que era um mundo comemorando comigo. Foi como se todos os meus familiares, amigos e filho estavam todos lá comigo, vencendo.

 

Futuro?

“Agora vou continuar treinando pesado com foco nas seletivas de Abu Dhabi, onde o jiu-jitsu é muito valorizado como esporte e os atletas são muito bem pagos. Eu sei que não vai ser fácil, são cinco seletivas por cidade, vou focar para tentar vencer uma destas seletivas e chegar lá”.

 

Agradecimento

“Quero agradecer primeiramente a Deus por tudo, ao Leonardo Candeia, meu professor que nunca desistiu de mim, ao Albertinho, Secretário de Esportes de Itapemirim, que nunca mediu esforços para me apoiar juntamente com a prefeita Viviane. Não posso esquecer-me do pessoal da Academia Fight Team do mestre Leandro, meus amigos e familiares. Sem toda esta ajuda eu jamais teria conquistado tudo isso”, finalizou Andressa.

 

 

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*