FAIXA? “Eu não vi faixa, tem faixa”

Publicado em às 9:02.
Por Luciana Maximo

O instrutor de transito aposentado, Francisco Bertulane estacionou em cima da faixa de pedestre, em frente ao Banestes em Piúma e foi flagrado pela reportagem

 

Um flagrante em um veículo do Centro de Condutores Francisco, de placa da Serra chamou atenção da Reportagem, na tarde desta quarta-feira, 10. O carro estava estacionado em cima de uma faixa de pedestre, em frente a agência do Banestes, no centro de Piúma.

O veículo permaneceu sobre a faixa durante algum tempo, enquanto a jornalista o aguardava o condutor retornar. Ao ser abordado se não era paradoxal um carro adesivado de um centro de condutores estacionar sobre uma faixa, o condutor riu e indagou. “Que faixa? Você está vendo alguma faixa aqui”?  E, não é que o aposentado tem razão, a faixa está completamente apagada e quem não é da cidade, não sabe que no local existiu uma. “No seu dizer, eu estacionei em cima da faixa, não no meu ver, não. Não tem como vê faixa aqui, eu posso colocar pessoas aqui junto comigo e com você, a gente vai discutir e não tem conversa. Eu não quero estar errado e nem certo, eu quero estar consciente, eu não estou vendo a faixa. Eu não sou da cidade e não sabia que aqui existiu uma. Eu não estou rindo de ironia, estou rindo porque sou alegre”, comentou sorrindo. (Tive de concordar com ele, grifo nosso).

De acordo com Francisco Berulane, instrutor aposentado, a ondulação tem vários tem vários sentidos, a faixa de pedestre deve ser faixa de pedestre, com a retenção e visualizada.

A reportagem aproveitou e deu uma volta completa pela Avenida José de Vargas Scherrer, que corta o centro de Piúma e contou pelo menos sete faixas apagadas. Já na Rua Elizeu Xavier, também no centro da cidade, quatro faixas, da direção dos Correios, até a Feres Contabilidade, inclusive, uma em frente o muro da Escola Estadual Professora “Filomena Quitiba”.

As faixas apagadas acabam causando risco para o pedestre e para o condutor, porque ambos não sabem que nos locais existem faixas, o que prejudica a fluidez do trânsito, ainda mais em uma cidade turística com o movimento constante nessa época do verão.

 

O que diz a Prefeitura

 

Em contato com o secretário de Obras, André Layber, ele afirmou que, toda sinalização vertical e horizontal é de responsabilidade do DETRAN, pois o trânsito de Piúma não é municipalizado, aliás, poucos municípios do estado são, Vila Velha, Vitória, Cachoeiro e mais uns dois. “O DETRAN estaria implantando nova sinalização no final do ano passado, só que as chuvas atrapalharam, eles já estão no município desde semana passada colocando algumas placas verticais, que é o que está sendo possível, a sinalização horizontal (faixas, ciclovias, etc…) Conversei com o engenheiro da Sitran semana passada, que é a empresa contratada pelo estado e chegamos à conclusão que provavelmente vai ficar para depois do carnaval, muito movimento de trânsito e chuvas esporádicas estão atrapalhando a execução”, ressaltou André.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Imprensa do DETRAN, enviou questionamentos, mas até o fechamento da edição não logrou êxito.

A gerência de Engenharia e Estudos de Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran| ES) informa que a ordem de serviço para a realização da sinalização do município de Piúma já foi publicada e os serviços estão em execução, a empresa tem 60 dias para a conclusão.

 

Fotos: carro estacionado e faixas apagadas/ LUCIANA MAXIMO

LEGENDA: O veículo estava estacionado onde deveria ser uma faixa de pedestre

 

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*