Maior tragédia afirma agente rodoviário federal

Publicado em às 18:10.
Por Luciana Maximo

O governador Paulo Hartung solicitou ao secretário de Segurança Pública, André Garcia que fosse pessoalmente ao local acompanhar os trabalhos.

Desde a manhã de ontem a equipe da PRF estava no local acompanhando todos os detalhes que envolveram o acidente. PRF Wylis Lyra detalhou a Reportagem que a carreta carregada com bloco de pedra, de aproximadamente 35 toneladas, vinha do sentido Vitória – Rio de Janeiro, quando, por motivos desconhecidos invadiu a contramão e colidiu frontalmente com um ônibus, que seguia de São Paulo para Vitória, e ambulâncias dos municípios de Jerônimo Monteiro e Alfredo Chaves. Após a curva, a rocha atingiu o ônibus, que tombou e começou a pegar fogo pelos fundos, segundo informações que a polícia apurou com os passageiros. “O ônibus acabou atingindo o caminhão e a pedra, ao colidir foi jogado para fora da pista e os dois veículos menores também foram jogados para fora da pista. Uma tragédia. A maior ocorrida no Espírito Santo, não só na rodovia federal, mas nas rodovias do estado.  Um trabalho muito difícil com 21 mortes reunimos todas as equipes para socorrer as vítimas e retirar os corpos carbonizados. Todas as equipes vieram para o local, tivemos o apoio do Governo do Estado que prontamente disponibilizou apoio total. O Corpo de Bombeiros trabalhou intensamente, os municípios também encaminharam ambulâncias para o resgate, todos empenhados tentando salvar o maior número de vítimas”, ressaltou o agente da PRF.

Salientou ainda a PRF que o trabalho da perícia vai complementar o trabalho da Polícia Rodoviária Federal. “O trabalho agora é entrar em contato com todos os hospitais da região para saber quais vítimas deram entrada e quais ficaram no ônibus e aí sim liberarmos uma lista oficial”, disse Wylis.

 

Corpo de Bombeiros chegou as 7h15

O aspirante do Corpo de Bombeiros Grain falou com o Jornal que essa foi uma das operações mais complexas realizadas no ES envolvendo acidente com ônibus.

“Cheguei aqui o pessoal já tinha começado a fazer os trabalhos, mas ainda estavam no começo. Temos equipe de Guarapari e Anchieta somando 20 homens. Quando chegamos o ônibus já estava em chamas e as vítimas que estavam dentro do /ônibus já estavam em óbito. Os que sobreviventes que estavam no ônibus saíram antes do Corpo de Bombeiros chegar. Foi uma das operações mais complexas em rodovia, um grave acidente para o ES. Um acidente envolvendo um ônibus com aproximadamente 33 pessoas e todas estão no acidente, uma ocorrência complexa. Temos aqui o Corpo de Bombeiros, a PM, a PRF, SAMU e temos a ECO 101. Uma ocorrência bastante complexa e de difícil organização, mas nosso trabalho aqui em conjunto foi de excelência”, ressaltou o aspirante do Corpo de Bombeiros Grain.

 

André Garcia afirma ser a maior tragédia no ES

 O secretário de Segurança do Estado, André Garcia esteve pessoalmente no local para acompanhar os trabalhos e prestar solidariedade as famílias das vítimas.

O secretário de Segurança do Espírito Santo, André Garcia se deslocou para o local do acidente tão logo foi informado da tragédia. Disse que o governador Paulo Hartung pediu que acompanhasse todos os trabalhos de perto. Ele falou com a Reportagem do ES Notícias e disse que essa é a maior tragédia no Estado que se tem conhecimento. “Um tragédia rodoviária sem precedente na história. Desde que o Corpo de Bombeiros foi comunicado eu fui comunicado pelo comandante geral da corporação do ocorrido. Estamos trabalhando junto com todos os órgãos do governo, a PM, o agrupamento aéreo do governo, a PC com a perícia, no atendimento no Departamento Médico Legal, a Secretaria de Estado da Saúde está lá no Jaime Santos Neves no PA de Guarapari enfim estamos acompanhando a coordenação de todo o esforço que tem sido feito até agora. Estou aqui no local para ver o desfecho, para oferecer o mínimo de conforto para quem sobreviveu e aos familiares, infelizmente das vítimas fatais”, ressaltou André.

Mesmo não sendo ainda informado sobre outras tragédias no ES, o secretário acredita que esse foi o maior acidente ocorrido. “A maior tragédia rodoviária do Estado. Estamos aqui por determinação do governador Paulo Hartung para que nada falte no atendimento às vítimas e aos seus familiares”.

Oportunamente André Garcia aproveitou e fez um apelo a população para fazer doação de sangue nos hospitais. “Precisamos da solidariedade do capixaba que pode ser necessário a doação de sangue. Precisamos reforçar os nossos estoques de sangue, quem puder doar que o faça, por favor, todo os estado. Estamos nos mobilizando até dentro do governo, secretários, gerentes, servidores em geral para fazer a doação de sangue”.

 

Motorista de Alfredo Chaves capota três vezes e sai ileso

A Prefeitura de Alfredo Chaves informou que a ambulância envolvida no acidente do município estava seguindo para o Hospital Dório Silva com um três pessoas, sendo um motorista, uma paciente com consulta de rotina e um acompanhante. Outra ambulância do município foi acionada, porém a paciente só teve uma luxação na perna, seguiu normalmente para o hospital onde tinha consulta marcada e a outra ambulância já retornou para Alfredo Chaves.

Romenik Brand que conduzia a ambulância capotou três vezes, mas saiu ileso. Dulce Parteli paciente de Alfredo Chaves que seguia a uma consulta em Vitória acompanhada Lúcia Helena Cardoso, apenas teve luxações em uma das pernas e continuou a viagem em outra ambulância do município que foi ao local transportá-los.

Motorista de Jerônimo Monteiro morre no acidente

Alicinaldo morreu no local ele seguia de Jerônimo Monteiro a Vitória em uma ambulância.

Entre os veículos envolvidos na tragédia da BR 101, em Guarapari, está uma mini van Doblô que saiu de Jerônimo Monteiro para levar pacientes para exames e consultas em hospitais de Vitória. O motorista Alicinaldo Zampilli Vargas, 36, morreu na hora.

Além dele, seguiam na mini van mais cinco pessoas, sendo três pacientes – entre eles uma criança de 10 anos, e dois acompanhantes. Com exceção do motorista, ninguém se feriu.

Segundo o secretário de Saúde de Jerônimo Monteiro, José Maria Justo, o motorista da ambulância evitou tragédia ainda maior. Segundo relatos dos passageiros, ele ao perceber o acidente jogou o carro para o acostamento e a batida ocorreu apenas no seu lado.

De acordo com o secretário, os passageiros foram avaliados pela equipe de emergência e não precisaram ser encaminhados aos hospitais. Apenas a criança de 10 anos sofreu um corte no rosto.

José Maria informou que encaminhou um carro até o posto da PRF de Guarapari, onde os passageiros aguardam, para trazê-los de volta para Jerônimo Monteiro. A morte de Alicinaldo gerou comoção entre grupos de trilheiros, atividade que a vítima era apaixonada.

 

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*